Seguro funerário ou assistência funerária? Entendas as diferenças

O falecimento de um parente ou amigo próximo é um momento complicado. Além de você ter de lidar com a dor da perda, é preciso organizar a documentação, velório e funeral. Se a família não tiver seguro funerário ou assistência funerária, a situação ficará mais difícil e dispendiosa financeiramente.

O indicado é fazer um plano individual ou familiar. O pagamento é mensal, tendo a cobertura das despesas em cartório com os documentos do óbito, translado do corpo, embalsamento, velório, sepultamento e cremação conforme a opção da proposta que adquiriu.

Para que entenda qual a melhor alternativa, veja neste post a diferença entre seguro funerário e assistência funerária. Boa leitura!

O que é o seguro funerário e qual a sua finalidade?

O seguro funerário ou funeral é um serviço que cobre as despesas dos beneficiários no momento de sua morte. Geralmente, é contratado junto com o seguro de vida, garantindo tanto a realização da cerimônia quanto a questão burocrática.

No instante do contrato são escolhidos todos os prestadores de serviços, níveis e características do funeral, dando mais segurança à família. Mas você pode optar por fazer as escolhas quando surgir a ocasião e depois apresentar as notas fiscais, conforme o montante acordado, para que a seguradora faça o reembolso.

Além disso, quem escolhe fazer um seguro proporcionará aos beneficiários o recebimento de uma indenização, já que ele é vinculado ao seguro de vida.

Outras vantagens são que a seguradora cobre o translado nacional, a repatriação do corpo, em caso de falecimento no exterior, e promove sorteios mensais aos titulares, o que não ocorre com os outros prestadores que têm cobertura local.

Como é o seu funcionamento?

Por exemplo, quando um segurado morre, a família entra em contato com a seguradora por telefone ou pelo corretor de seguros para comunicar o fato. A prestadora cuidará de todos os trâmites para encaminhar você aos serviços que foram contratados:

  • registro de documentação para a Certidão de Óbito;
  • sepultamento ou cremação;
  • tanatopraxia;
  • indenização para despesas inesperadas do falecimento do titular do seguro ou do seu cônjuge;
  • indicação das funerárias que trabalham com a seguradora para que sejam feitos o velório e o sepultamento, desde que estejam dentro do valor que consta na apólice.

Qual o valor de um seguro funeral?

O custo de um seguro funeral varia bastante. Por exemplo, uma apólice de R$ 5 mil para acidentes pessoais, com indenização no mesmo montante, para uma família com pais de até 40 anos pode sair por R$ 15 mensais. Já o seguro de vida individual, com assistência funeral de R$ 3.500, custa R$ 30 por mês.

Porém, antes de contratar o seguro de vida e funeral, conheça as situações que não são cobertas pelas empresas:

  • doenças preexistentes que não tenham sido comunicadas às seguradoras;
  • convívio com materiais nucleares;
  • doenças como LER, LTC ou DORT;
  • motins ou atos de guerra;
  • ações irregulares para obter vantagens para si ou para outras pessoas;
  • inclusão de pessoas especiais acima de 65 anos que são dependentes de você.

Os planos têm carência?

Dependendo da seguradora, o tempo de carência é de, aproximadamente, 3 meses para casos de morte natural. Para suicídio, o mínimo é de 2 anos. Mas se houver uma morte violenta, o mesmo pode ser usado imediatamente. Caso haja o falecimento antes destes períodos, o titular deverá pagar uma taxa de carência para que os serviços sejam prestados.

Quais são as diferenças entre seguro e assistência funerária?

Muitas pessoas confundem o seguro com a assistência funerária. A diferença entre eles é que o seguro é ofertado pela seguradora com uma apólice e funciona como o seguro de vida. Já a assistência é feita por funerárias e cemitérios, em que os clientes pagam uma pequena mensalidade para que, no falecimento de um membro da família, todos os serviços estejam cobertos.

Os planos funerários podem ser individuais ou familiares e se diferem nos serviços que são contratados. Um dos benefícios é que quando ocorre a morte, os parentes não precisam ir atrás dos serviços, pois a funerária se encarregará disso conforme a cobertura contratada. O que não acontece com o seguro, porque alguém terá de providenciar o funeral e a documentação.

Quais são as vantagens de cada um?

O seguro funerário garante o desenrolar da burocracia, evitando que os parentes tenham desgastes emocionais, de tempo e dinheiro. Os benefícios são:

  • conveniência e tranquilidade para a família no falecimento;
  • ausência de burocracia e de custos para a documentação, velório e sepultamento;
  • o funeral é realizado de acordo com os desejos do beneficiário e de sua família;
  • ajuda de especialistas habilitados no segmento para que a documentação seja feita de acordo com a lei, se houver algum problema;
  • antecipação de decisões, facilitando os trâmites necessários;
  • planos funerários adequados à sua condição financeira e com diversas formas de pagamento;
  • coberturas de velório, sepultamento ou cremação, translado de corpo e outros serviços necessários;
  • com o seguro você pode deixar por escrito algumas orientações relativas ao seu funeral;
  • cobertura estendida aos demais membros da família, de acordo com a apólice.

Optando pela assistência funeral, terá um serviço mais completo para você e seus familiares. Nesta modalidade, não há reembolso de despesas, nem escolha de empresas, mas tudo é feito pela funerária para que não tenha de ir atrás de nada, deixando o enlutado tranquilo para se despedir da pessoa querida.

Ao contratar um plano funerário terá:

  • assessoria administrativa para o sepultamento;
  • sepultamento ou cremação;
  • urna ou caixão;
  • coroa de flores;
  • ornamentação de urna;
  • paramentos;
  • mesa de condolências;
  • velório;
  • registro do óbito;
  • translado;
  • carro funerário.

Ainda há assistência funeral que faz parcerias com outros prestadores de serviços e oferece desconto aos clientes em planos odontológicos, consultas médicas, farmácias, entre outros.

Como pôde perceber, a assistência e o seguro funerário têm algumas particularidades, sendo que a assistência demonstra uma abrangência de serviços, trazendo mais facilidades para um momento tão delicado. Agora que você já conhece as características de cada uma, veja qual é mais conveniente para que possa incluir em seu planejamento financeiro. Afinal, a morte não tem preço, mas o funeral custa caro.

Interessou-se em providenciar o seu funeral e de seus familiares? Entre em contato com nossa empresa para que possamos dar todas as orientações.

Veja mais

Entenda a importância de estabelecer o diálogo com os filhos

As relações familiares são algumas das mais importantes na construção do indivíduo. Elas são responsáveis por desenvolver sentimentos de afeto e solidariedade, por exemplo. Contudo, para que elas sejam ainda mais significativas, principalmente no caso dos pais, é fundamental que esses procurem manter sempre o diálogo com os filhos. A verdade é que todo tipo de relacionamento […]

Entenda como funciona a doação de órgãos no Brasil

Você sabia que existe a lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997, que regulamenta a doação de órgãos no Brasil, há mais de 20 anos? Ela determina que possam ser retirados tecidos, órgãos e partes do corpo do falecido para transplantes ou fins terapêuticos. Mesmo mediante a vontade expressa da pessoa antes de morrer, a […]

Entenda agora o real significado da missa de sétimo dia

Com certeza, você ou alguém conhecido já foi na missa de sétimo dia de um falecido. Uma tradição de religião ou um costume de povos, é um evento que finaliza os rituais de pós-morte. Porém, poucas pessoas sabem realmente o seu significado. Por isso, já parou para pensar como e por que surgiu esta liturgia? Quais países seguem […]