Entenda agora o real significado da missa de sétimo dia

Com certeza, você ou alguém conhecido já foi na missa de sétimo dia de um falecido. Uma tradição de religião ou um costume de povos, é um evento que finaliza os rituais de pós-morte. Porém, poucas pessoas sabem realmente o seu significado.

Por isso, já parou para pensar como e por que surgiu esta liturgia? Quais países seguem o rito? É devido a essas e outras dúvidas que vamos apresentar no post a seguir a história desta celebração que tantas pessoas frequentam sem saberem realmente os motivos e objetivos. Vamos lá saber mais sobre este costume?

O que é a missa de sétimo dia e como funciona?

A igreja católica reza pelos falecidos solicitando a Deus que dê a alma deles o repouso eterno. Isto ocorre porque os católicos acreditam no purgatório, ou seja, sem a santidade ninguém poderá chegar a Deus, entrando diretamente no céu. Assim, as orações ajudam neste encontro, em especial na Santa Missa, para referenciar o sacrifício de Cristo no Calvário.

Na liturgia antiga era costume realizar as missas no 3º, 7º, 30º e aniversário de morte das pessoas falecidas. Porque o número 3 traz menção aos três dias que Jesus ficou sepultado para ressuscitar dos mortos. A missa neste dia manifesta a esperança de que os corpos também ressuscitarão para a eternidade. Por sua vez, o número 7 é o sétimo dia da criação do mundo, quando após, Deus pôde descansar de sua obra.

Devido ao catolicismo ter se fortalecido bem no Brasil, a igreja difundiu a missa de sétimo dia por considerar o número mais significativo. No entanto, não é uma prática em outros países, é uma tradição brasileira.

O costume surgiu na época colonial e como o país é tropical e de grande extensão territorial, era preciso sepultar os falecidos rapidamente. Então, era difícil que os parentes que morassem longe chegassem a tempo da missa de corpo presente e do sepultamento.

Assim, o prazo de sete dias era suficiente para que comunicassem sobre o falecimento do ente querido a todas as pessoas da família e amigos. E pudessem se reunir para finalizar o ritual de morte na Santa Missa e o falecido descansar em paz junto ao Pai Eterno.

O que diz a Bíblia sobre a missa de sétimo dia?

Segundo consta na Bíblia há várias passagens com o numeral. O sete significa perfeição, pois Deus criou o mundo em sete dias. Na história de Noé, houve uma chuva por 40 dias e 40 noites e, após esse período, ele soltou uma pomba que trouxe um ramo de oliveira avisando o fim do dilúvio.

Direcionado à morte, José fez um luto de sete dias pelo falecimento de Jacó. Outra vertente é que deveria se fazer um sacrifício purificador por este período. As mulheres que tivessem bebês estariam purificadas no sétimo dia. Os leprosos estariam limpos depois de sete banhos.

Os Evangelhos contam que Jesus multiplicou os pães com o número sete. Que Pedro deveria perdoar seus inimigos setenta vezes sete. Por isto, o número é usado como percurso e perseverança. E em uma oração, para que a alma seja purificada.

A missa de sétimo dia não tem raízes católicas, mas há fatos relacionados com o número sete na bíblia para que haja a celebração. Além de ser uma prática comum entre os fiéis, não são todos católicos que realizam, mesmo em países de tradição cristã.

Estas homenagens póstumas podem estar ligadas tanto a religiões quanto às culturas de diferentes povos ou, apenas, às crenças pessoais e tradições familiares.

Quais as formas de homenagear um ente querido?

Além da missa de sétimo dia, há outras maneiras de se homenagear um familiar ou amigo tão querido pelo seu falecimento, veja:

  • homenageie com som contratando uma banda ou músico para tocar as canções que ele mais gostava;
  • confeccione santinhos de luto com a foto do falecido e mensagens;
  • faça um discurso e peça para alguém mais preparado, caso você não esteja, ler o texto destacando as características e exemplos que o falecido deixou;
  • jogue chuva de pétalas no velório ou enterro demonstrando a sensibilidade e o respeito de todos pela pessoa;
  • deixe e-homenagem no cemitério, crematório e funerária se eles tiverem este serviço digital em suas plataformas online;
  • solte balões personalizados com a foto do ente querido ou uma frase marcante durante o funeral. Os balões significam, de maneira ilustrativa, que a pessoa está subindo ao céu;
  • faça uma tatuagem de um símbolo ou frase que marcaram vocês;
  • cuide constantemente da sepultura do falecido;
  • realize algo que a pessoa queria muito e não conseguiu em vida;
  • promova um evento que esteja relacionado a seu estilo de vida e que significaria muito para ela;
  • monte um altar em casa com seus objetos pessoais dela.

Como solicitar uma missa de sétimo dia na igreja?

Para solicitar uma missa de sétimo dia, basta ir à secretária da igreja do seu bairro ou outra que você goste mais e pedir para o atendente que quer fazer a homenagem. Mas isso deve ser feito com uma antecedência de meia hora antes da missa ou deixar marcado uma data.

Lá, vão perguntar sobre a intenção da celebração e se pode colaborar com qualquer quantia, porém ela não é obrigatória. Assim, na data marcada durante a oração da eucarística será pronunciado que a missa é em intenção à memória e darão o nome do falecido. Aproveite e convide as pessoas para irem assistir à missa e, assim, todos rezarem juntos para a alma da pessoa descansar em paz.

Você nem imaginava que a história da missa de sétimo dia era tão cheia de influências de passagens bíblicas e muito menos que era um costume brasileiro. Agora, quando for participar de uma, saberá exatamente os motivos de estar lá e em que as pessoas acreditam que aquelas orações ajudarão o sepultado. Ou, quando for pedir uma missa compreenderá os motivos do ritual.

Sabe mais algum fato sobre o tema que considere importante para compartilhar no post? Então, comente o que achou da história da missa de sétimo dia para sabermos sua opinião!

Veja mais

Entenda a importância de estabelecer o diálogo com os filhos

As relações familiares são algumas das mais importantes na construção do indivíduo. Elas são responsáveis por desenvolver sentimentos de afeto e solidariedade, por exemplo. Contudo, para que elas sejam ainda mais significativas, principalmente no caso dos pais, é fundamental que esses procurem manter sempre o diálogo com os filhos. A verdade é que todo tipo de relacionamento […]

Seguro funerário ou assistência funerária? Entendas as diferenças

O falecimento de um parente ou amigo próximo é um momento complicado. Além de você ter de lidar com a dor da perda, é preciso organizar a documentação, velório e funeral. Se a família não tiver seguro funerário ou assistência funerária, a situação ficará mais difícil e dispendiosa financeiramente. O indicado é fazer um plano individual […]

Entenda como funciona a doação de órgãos no Brasil

Você sabia que existe a lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997, que regulamenta a doação de órgãos no Brasil, há mais de 20 anos? Ela determina que possam ser retirados tecidos, órgãos e partes do corpo do falecido para transplantes ou fins terapêuticos. Mesmo mediante a vontade expressa da pessoa antes de morrer, a […]