5 maneiras para superar o luto eterno

O luto eterno é um processo de tristeza e angústia pelo qual todos passam após a perda de alguém querido. Apesar de ser um assunto difícil, é inevitável, pois a morte é um acontecimento destinado a acontecer e todos nós viveremos o luto em algum momento.

Por mais natural que seja, não há como estar totalmente preparado. Essa é uma das situações mais difíceis que o ser humano enfrenta em sua vida, mas é importante não lutar contra esses sentimento, e, sim, aceitá-los e respeitá-los.

Um fator que influencia na intensidade do luto é o grau de proximidade com a pessoa que faleceu. É normal se sentir triste pela perda de conhecidos ou parentes distantes, mas é muito mais doloroso encarar a morte de pessoas próximas.

Há quem pense que o luto, em certo momento, acaba. O que acontece, na verdade, é que ele se transforma. Essa ausência ganha novos sentidos conforme o tempo passa. Para ajudar você a passar por esse momento, ou se preparar para quando ele chegar, neste texto apresentamos algumas dicas que podem ser de grande valia. Acompanhe.

As fases do luto

Viver o luto é um direito de todos que perdem alguém amado. É um período difícil, mas não deve ser ignorado, pois tudo que não é processado no momento devido, aparece como um problema futuro. Quem está passando pelo luto não deve se envergonhar, mas sim vivenciar e refletir sobre cada fase do processo.

A psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross elaborou uma teoria que divide o luto em 5 fases, que nem sempre ocorrem em sequência. São elas:

  • negação: o indivíduo tenta agir como se nada tivesse acontecido, e se dedica intensamente às atividades do cotidiano ou do trabalho, buscando isolamento;
  • raiva: nesse estágio, é normal se culpar pela morte da pessoa querida;
  • barganha: ocorre quando se tenta “barganhar” pela vida, pensando que poderia ter feito algo para mudar o que aconteceu;
  • depressão: nessa fase, a pessoa reconhece suas limitações. Tristeza, angústia, amargura e desesperança aparecem nesse estágio;
  • aceitação: o enlutado abandona o desespero e consegue falar sobre a morte sem angústia. Também começa a recordar dos aspectos positivos da relação vivida e dos bons momentos.

Como superar o luto eterno

Normalmente, os estágios do luto duram seis meses, até que se chegue à aceitação. Porém, alguns podem ficar estagnados em algumas dessas fases.

Lembre-se que o processo é totalmente individual. Não queira encaixar os seus sentimentos em padrões de comportamento e atender às expectativas alheias. Cada luto é diferente.

Algumas atitudes, porém, podem ajudar na superação. A autossabotagem é muito comum durante o luto, mas isso apenas aumenta a intensidade do que a pessoa está sentido. Confira algumas maneiras de superar o luto:

1. Respeite seu momento

Nossa mente e nosso corpo podem reagir ao luto de formas inesperadas. Isso é normal, pois todos nós passamos por um momento de choque, que pode desencadear um apagão de consciência e algumas reações corporais, como tremores, vômito, desmaios, taquicardia, entre outras.

O emocional e o físico se embaralham neste momento. O choro, o grito, o desespero e a tristeza chegam sem avisar. Deixe que esses sentimentos venham. Pudor, vergonha ou receio não cabem diante da perda de alguém querido.

Não se desespere com a sua forma de reação, aceite e respeite seu momento. Procure estar próximo de pessoas amadas e tenha em mente que esse momento vai passar.

2. Compartilhe o que sente

A vontade de isolamento é normal — e, em alguns momentos, necessária — durante o luto, mas a superação é um processo em conjunto. Não cale seus sentimentos, se abra com alguém confiável, fale sobre a dificuldade de superação.

A fala é um instrumento poderoso para o processo de cura e as pessoas que te amam estarão prontas para ouvir e oferecer conforto. Não pense que está tomando o tempo do outro ou que os seus sentimentos não importam. Acredite, as pessoas ao seu redor querem ver você bem e estão dispostas a ajudar.

Às vezes, a pessoa começa a se fechar dentro da própria cabeça e tudo parece maior do que realmente é. Compartilhar o que sente te ajuda a manter os pés no chão e superar o luto de uma forma mais leve.

3. Use a arte

Se você sentir que precisa dizer algo para o ente querido, pode escrever cartas, poesias, ou compor músicas. Seja em um post nas redes sociais, um e-mail nos rascunhos ou uma carta que ficará na gaveta. Coloque para fora em palavras sem se preocupar com o sentido.

O artesanato, a música, pintura em tela, fotografia e até mesmo a dança podem ajudar a desafogar os sentimentos. Afinal, o próprio luto não é a “arte” de dizer adeus?

Encontrar maneiras de se expressar auxilia no processo de superação do luto, pois dá significado à experiência. A arte é sua alma falando mais alto. É pintar sua dor, bordar sua história, cantar suas memórias ou dançar em busca do seu caminho de volta.

4. Não se culpe

Entenda que não temos controle sobre os acontecimentos da vida e que estamos onde deveríamos estar. Pensar nos “e se” só torna o momento ainda mais doloroso. Esse sentimento é legítimo, mas agarrar-se à culpa não alivia o luto.

Também é comum que o enlutado se sinta culpado por não estar constantemente triste, mas isso também é normal. O luto é um processo complexo, que envolve muitos momentos de tristeza, mas não exclui os momentos de alegria ou de distração.

Não se culpe pela sensação de alegria, se vier. Aproveite esse momento, pois também é necessário “dar um tempo” a si mesmo para recuperar as forças.

Haverão momentos de saudade, de choro, de revolta, assim como de alegria pelo que viveram juntos, de perdão e de mais leveza. O luto terno não significa tristeza eterna. Permita-se continuar vivendo.

A pessoa que se foi não será esquecida ou deixará de ser importante. O tempo apenas fez seu trabalho e tornou aquela dor sufocante em uma saudade dos bons momentos.

5. Procure ajuda para superar o luto eterno

Como dito, cada pessoa reage de uma forma diferente ao processo de luto. Algumas conseguem elaborar tudo e superar sozinhas, outras não. E isso definitivamente não é um problema.

Sintomas como depressão prolongada, pensamentos suicidas e perda de peso alertam a necessidade de ajuda profissional. Se você sente que está muito difícil superar o luto eterno, procure um psicólogo, que poderá ajudar na superação desse momento doloroso.

Esse também não é um motivo para se envergonhar ou sentir culpa. Um profissional o auxiliará a buscar dentro de si que o dá mais sentido à vida, ajudando a reconstruí-la aos poucos, sem jogar a sujeira para dentro do tapete ou tentar se enganar.

Superar o luto eterno é um processo totalmente individual, que requer paciência e muito carinho. Seja gentil consigo mesmo durante esta caminhada difícil. Muitas vezes você vai cair e precisará de ajuda para se recompor e continuar caminhando. Está tudo bem.

O amor que você sente pela pessoa que se foi continuará com você, assim como as boas memórias e aprendizados. Não queira apagar o passado, use-o como apoio para seguir em frente. A vida segue seu curso natural e é preciso seguir com ela.

Achou as dicas importantes para superar o luto eterno? Conhece alguém que precisa ler este post? Então, que tal compartilhá-lo nas suas redes sociais?

Veja mais

Meu cachorro morreu e agora? Veja como superar a perda de um animal de estimação

Para muita gente, os cães são como membros da família, além de grandes amigos. Desse modo, o carinho, o cuidado e o amor com esses animais acabam sendo parte da vida de quem tanto se dedica aos seus bichos de estimação. O lado mais difícil dessa relação é superar a morte do animal. Por isso, é comum que algumas pessoas […]

Auxílio funeral INSS ainda existe? Saiba o que é e quem tem direito!

O falecimento de um familiar é um momento extremamente delicado e de luto. No entanto, ao mesmo tempo em que se lida com a dor, é preciso cuidar de algumas questões burocráticas e financeiras que envolvem o sepultamento. É nesse momento que surgem muitas dúvidas — uma delas, inclusive, diz respeito ao auxílio funeral INSS. Afinal, esse benefício ainda existe? Por mais que a […]

Novembro azul e o combate ao câncer de próstata: entenda a importância dessa campanha!

O Novembro Azul é um movimento que começou na Austrália, em 2003, e se expandiu para o mundo todo, sendo uma campanha para a prevenção do câncer de próstata. A doença é a segunda maior causa de morte por tumores malignos nos homens do Brasil. Esse tipo de câncer se manifesta de forma muito silenciosa […]