Como confortar uma pessoa de luto?

Quase tão difícil quanto perder um ente querido, é confortar uma pessoa de luto. Pode ser muito complicado encontrar as palavras e o momento certo. Contudo, não saber o que dizer não significa se importar menos. O fato é que ninguém sabe com certeza o que fazer nessa hora.

Não existe um guia de como se comportar em um funeral ou o que dizer no luto. Principalmente porque cada um sofre e sente as coisas de uma forma diferente.

No entanto, se você fica perdido, sem saber o que falar para os amigos ou a família, veja a seguir algumas dicas básicas sobre como agir para confortar alguém.

Saiba o que dizer e na hora certa

Em geral, as pessoas vivem os mesmos estágios de luto, mas em momentos diferentes. Ou seja, antes de pensar em fazer ou falar alguma coisa, é bom observar o comportamento do seu amigo.

Por exemplo, se ele estiver chorando muito durante um funeral, é provável que o melhor seja esperar, deixar ele se acalmar e, no máximo, oferecer um abraço, desde que não seja forçado.

Dizer algo inconveniente, além de indelicado, pode piorar muito o sentimento de perda da pessoa. Por isso, seja discreto e só se manifeste se tiver muita intimidade e com a abertura necessária para dar uma opinião.

Nessas horas, um erro comum das pessoas é recorrer aos clichês. Frases como “ele está em uma melhor”, “entendo o que você está sentindo”, “agora é hora de seguir em frente” podem servir apenas para piorar a situação.

Por mais que se identifique com a dor do outro, cada um sente as coisas de forma distinta e tem o seu processo de luto. Um simples “sinto muito” ou “meus pêsames” ainda pode soar menos insensível.

Respeite o processo de luto

Como já dissemos, cada um vive o luto de uma forma diferente. Ou seja, não adianta querer ajudar e estar presente sem que a pessoa queira todo esse envolvimento. Muita gente prefere sofrer sozinho e isso deve ser respeitado.

No entanto, tenha cuidado para não se afastar completamente. Pode ser que a pessoa se feche por não saber agir de outra maneira. Assim, fique disponível para o momento que ela precisar de ajuda.

Ofereça ajuda para recomeçar

Se mesmo estando disponível seu amigo ou familiar não procurou por você, se ofereça para ajudar a recomeçar de alguma forma. Para não ser desagradável, observe as atitudes da pessoa e veja como ela lida com diversas situações. Perceba os sinais que ela dá em relação a estar perdida e sem saber o que fazer.

Por exemplo, veja se precisa de ajuda para arrumar a casa, tomar conta dos filhos etc. Se ainda não percebeu nenhum sinal, leve alguma comida que saiba que ela vá gostar ou convide para fazer alguma atividade de rotina, como uma caminhada, ir ao cinema, entre outras. Certamente a pessoa perceberá sua vontade de ajudar, sem ser de uma maneira invasiva.

O fato é que confortar uma pessoa de luto não é uma tarefa fácil e requer muita intimidade. Se você não é muito próximo, o melhor é oferecer seus sentimentos e sua vontade de ajudar, mas dar espaço para que a pessoa procure alguém para lidar com a saudade.

Receba outras dicas de como ter mais qualidade de vida e bem-estar, além de maneiras de lidar com a morte. Siga a Metropax no Linkedin, no Facebook e no Twitter.

Veja mais

Entenda a importância de estabelecer o diálogo com os filhos

As relações familiares são algumas das mais importantes na construção do indivíduo. Elas são responsáveis por desenvolver sentimentos de afeto e solidariedade, por exemplo. Contudo, para que elas sejam ainda mais significativas, principalmente no caso dos pais, é fundamental que esses procurem manter sempre o diálogo com os filhos. A verdade é que todo tipo de relacionamento […]

Seguro funerário ou assistência funerária? Entendas as diferenças

O falecimento de um parente ou amigo próximo é um momento complicado. Além de você ter de lidar com a dor da perda, é preciso organizar a documentação, velório e funeral. Se a família não tiver seguro funerário ou assistência funerária, a situação ficará mais difícil e dispendiosa financeiramente. O indicado é fazer um plano individual […]

Entenda como funciona a doação de órgãos no Brasil

Você sabia que existe a lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997, que regulamenta a doação de órgãos no Brasil, há mais de 20 anos? Ela determina que possam ser retirados tecidos, órgãos e partes do corpo do falecido para transplantes ou fins terapêuticos. Mesmo mediante a vontade expressa da pessoa antes de morrer, a […]