Como lidar com o luto nas redes sociais? Evite gafes!

As redes sociais diminuíram a distância entre pessoas queridas, possibilitando a comunicação com quem não está por perto. Quando algo bom acontece, é muito fácil curtir o post do amigo e felicitá-lo pela conquista.

Entretanto, quando a notícia não é tão boa, é difícil saber como reagir. Um desses momentos constrangedores pode ser quando alguém compartilha uma notícia de luto nas redes sociais. Nessas horas, o que fazer? Leia este texto e saiba como evitar gafes.

Tenha bom senso

Sociólogas da Universidade de Washington pesquisaram a forma como usuários das redes sociais interagem com os perfis de pessoas que já morreram e concluíram que as plataformas criaram um espaço totalmente novo para o luto.

Hoje, pessoas que nem conhecem o falecido podem opinar e discutir sobre a morte. Segundo a pesquisa, o Facebook funciona como um prolongamento do âmbito privado, onde nos expressamos de forma mais aberta ao falarmos sobre nossos sentimentos em relação à pessoa falecida.

Porém, assim como nas interações fora do ambiente virtual, existe a possibilidade de sermos inconvenientes num momento tão delicado.

​Mantenha a formalidade

É normal falarmos de forma descontraída nas redes sociais, mas em momentos de luto é importante manter a formalidade. Você pode compartilhar momentos vividos com a pessoa que faleceu e pode desejar os pêsames aos parentes, mas sempre de maneira formal, respeitando o luto dos familiares.

Tenha empatia

Coloque-se no lugar da pessoa que compartilhou o luto: se estivesse no lugar dela, você gostaria de escutar o que está querendo dizer? Se a resposta for não, guarde para si mesmo e expresse seus sentimentos com delicadeza.

Lembre-se sempre de que a outra pessoa está passando por um momento muito difícil e não precisa ouvir palavras desagradáveis. Os desentendimentos devem ser resolvidos após o período de luto.

Não curta a publicação

Se alguém postar uma notícia sobre falecimento ou doenças, jamais curta a publicação. As pessoas curtem pensando que pode significar uma forma de apoio, mas também pode passar a impressão de que gostaram da má notícia.

Hoje, existem as reações no Facebook, inclusive a de tristeza. Essa com certeza é a opção mais adequada, mas o ideal mesmo é deixar apenas um comentário manifestando apoio à família.

Seja cuidadoso com as informações

Se for necessário, publique apenas a nota de falecimento e as informações sobre velório e sepultamento. Não compartilhe informações que não sejam comprovadas ou autorizadas pela família. Os detalhes sobre a morte podem ser pedidos por telefone, após as condolências ou durante o velório. Nunca devem ser divulgados sem o consentimento dos familiares próximos.

Não fique apenas no virtual

Se você mora na mesma cidade da pessoa que faleceu, compareça ao velório e enterro. Não deixe seu carinho apenas para o ambiente virtual. Mesmo que a homenagem póstuma nas redes sociais seja importante para vivenciar o momento de luto, é essencial para a família receber o carinho pessoal das pessoas que amavam o ente falecido e nada substituirá a sua presença.

Ao lidar com o luto nas redes sociais, o mais importante é demonstrar aos que estão sofrendo que você sente muito e deseja forças para que superem esse momento difícil. Se você está triste, expresse seus sentimentos e também receberá manifestações de apoio e carinho.

Se você quer conhecer outras dicas sobre o assunto, curta nossa página no Facebook e acompanhe nossas novas postagens.

Veja mais

Entenda a importância de estabelecer o diálogo com os filhos

As relações familiares são algumas das mais importantes na construção do indivíduo. Elas são responsáveis por desenvolver sentimentos de afeto e solidariedade, por exemplo. Contudo, para que elas sejam ainda mais significativas, principalmente no caso dos pais, é fundamental que esses procurem manter sempre o diálogo com os filhos. A verdade é que todo tipo de relacionamento […]

Seguro funerário ou assistência funerária? Entendas as diferenças

O falecimento de um parente ou amigo próximo é um momento complicado. Além de você ter de lidar com a dor da perda, é preciso organizar a documentação, velório e funeral. Se a família não tiver seguro funerário ou assistência funerária, a situação ficará mais difícil e dispendiosa financeiramente. O indicado é fazer um plano individual […]

Entenda como funciona a doação de órgãos no Brasil

Você sabia que existe a lei 9.434 de 4 de fevereiro de 1997, que regulamenta a doação de órgãos no Brasil, há mais de 20 anos? Ela determina que possam ser retirados tecidos, órgãos e partes do corpo do falecido para transplantes ou fins terapêuticos. Mesmo mediante a vontade expressa da pessoa antes de morrer, a […]