Cortejo fúnebre: compreenda sua importância e como é organizado

O velório de um familiar ou amigo próximo é sempre um momento muito difícil, que envolve dor, luto e tristeza. No entanto, é preciso ter forças para lidar com questões burocráticas e que servem como homenagem ao falecido, como o cortejo fúnebre.

Também conhecido como procissão fúnebre, é uma prática que mudou alguns aspectos na sua realização conforme a religião e o passar dos anos. No passado, por exemplo, o corpo era levado somente pelos homens da família em um esquife (espécie de suporte) até o local de descanso do falecido.

Para que você entenda mais sobre o assunto, a seguir mostraremos como funciona todo o processo de organização de um velório, incluindo o cortejo fúnebre e traslado. Acompanhe!

Como é organizado um velório?

O velório, ou cerimônia fúnebre, é o momento que o caixão e o corpo do falecido são colocados em um local, como uma exposição, para que os familiares e amigos possam se despedir e honrar a memória do ente querido antes do sepultamento — que é o enterro propriamente dito.

O tempo de duração dessa prática varia conforme a funerária e outras particularidades, porém, normalmente, esse período é de algumas poucas horas, e também pode acontecer durante a madrugada.

Há históricos de que o velório era praticado na Idade Média como uma verdadeira celebração, com muita cerveja e uísque. Nessa época, a família do falecido ficava comendo em volta do corpo, como uma vigília.

Com o tempo, isso foi mudando e há uns 30, 40 anos esse momento era organizado pelas famílias, que também preparavam o corpo, sendo comum a realização da cerimônia em casa.

Atualmente, existem diversas opções para que os parentes ou responsáveis possam escolher o lugar para realizar um velório. Os mais escolhidos são os espaços em que há jazigos da família e um local onde o corpo será sepultado ou cremado. No entanto, ainda existe um número considerável de famílias que preferem realizar essa cerimônia na própria residência ou em igrejas.

A Metropax, por exemplo, disponibiliza um espaço para que o velório seja feito fora do cenário do cemitério, em uma espécie de capela. Esse tipo de ambiente oferece a discrição e o conforto em um momento tão difícil.

As etapas de planejamento do velório

Assim que ocorre a notícia do falecimento, é preciso entrar em contato com uma funerária ou aquela que já tenha um plano. A partir disso, a empresa guiará você sobre as etapas, burocracias e documentações necessárias para dar prosseguimento ao processo.

O primeiro passo é a organização da documentação. É preciso apresentar o atestado de óbito assinado por um médico, laudos médicos e a documentação de identificação do falecido, incluindo a certidão de nascimento e a carteira de identidade.

Depois, é o momento da retirada do corpo de um local para o outro, com a finalidade de prepará-lo para o velório, que, como explicado, pode ser feito tanto em casa quanto em igrejas e capelas. Por fim, são organizados os carros e convidados do cortejo fúnebre para que, na sequência, o falecido seja encaminhado até o local do sepultamento ou da cremação.

Qual é a importância do cortejo fúnebre?

O cortejo fúnebre é o momento de levar o corpo do local onde ele foi velado até o cemitério ou crematório. Esse trajeto é feito em carros especialmente preparados. Nesse momento, a família e amigos devem seguir de carro, todos enfileirados, em baixa velocidade e sinalizados com pisca-alerta ligado.

O cortejo é uma prática muito antiga e usual, mas que sofreu algumas mudanças para se adequar ao trânsito de hoje. Tradicionalmente, essa procissão é o ato de encerrar o velório que é feito em casa. No entanto, atualmente, isso também é feito de igrejas e capelas, como dito.

Vale ressaltar que quando o corpo não é velado no mesmo local em que será cremado ou sepultado, automaticamente, o cortejo é realizado, mesmo que indiretamente. Portanto, o cortejo fúnebre é de grande importância para homenagear o falecido, pois é uma maneira de valorizar o que ele foi em vida e prestar uma última cerimônia.

Para a organização e planejamento do cortejo devem ser considerados fatores como a distância, tempo, trajeto, horário e algumas regras. Em Belo Horizonte, por exemplo, se o velório for realizado fora do cemitério, é necessário que seja encerrado até 15h30, de maneira que esse período seja o suficiente para o deslocamento até o local do enterro.

Como são realizados e quais são os tipos de traslados no cortejo?

A Metropax disponibiliza duas opções de traslados: transporte de luxo e executivo. O transporte de luxo é feito em uma limousine, sendo a única funerária no Brasil a disponibilizar esse tipo de carro. A ideia foi pensada com muito carinho, para proporcionar mais conforto, paz e segurança.

Contudo, também há a alternativa de um carro adaptado, para que o trajeto seja realizado dentro do cemitério até o jazigo, que é o chamado cortejo interno. Essa é uma opção mais simples, diferenciada, rápida e segura, tanto para o corpo quanto para a família.

Quais são as principais recomendações do traslado nos cortejos?

Antes de qualquer coisa é preciso atender ao protocolo do governo do Estado e das Forças Armadas da Polícia Militar, onde dentro das honras fúnebres para autoridades, políticos e combatentes das forças armadas o cortejo deve ter o diferencial de ser conduzido por batedores da corporação, ou veículo especial e oficial (instituição ou corpo de bombeiros), para a administração do trânsito.

Além disso, o cortejo precisa respeitar as leis de trânsito, sendo autorizado somente o uso de sinalização por meio de pisca-alerta. Também não é permitido que o cortejo fúnebre seja realizado em BRs devido à velocidade da via.

Todos os processos, planejamentos e cerimônias são acordados entre a empresa e a família, de maneira que tudo fique claro. A Metropax preza e respeita todo esse momento de negociação, considerando o momento delicado.

Com base nas suas informações e preferências, é dado prosseguimento na preparação, de acordo com o padrão escolhido pela família, como sepultamento ou cremação, cortejo, entre outros.

Além disso, há uma preocupação em relação à estrutura necessária para atender as famílias com conforto e excelência, tanto se a vontade for fazer o velório em casa quanto o cortejo em uma limousine, como forma de eternizar a lembrança do ente.

O cortejo fúnebre é uma cerimônia muito importante para homenagear uma pessoa importante que faleceu e uma forma de prestar uma última celebração. Portanto, procure empresas que atendam às suas preferências e que disponibilizem uma boa estrutura, não apenas para o trajeto, mas durante todo o processo.

Tem interesse em organizar um cortejo fúnebre? Para isso, basta entrar em contato conosco para conhecer as nossas opções, planos e tirar suas dúvidas.

Veja mais

Como comunicar um falecimento para pessoas com problemas de saúde?

Que a vida é efêmera, todos sabemos. Mas a informação sobre o falecimento de alguém tão querido está longe de ser aceitável por muitas pessoas, independentemente da crença. Não queremos nos separar daqueles a quem amamos. Muitas vezes, além de termos de lidar com nosso sofrimento, ainda há a tarefa de comunicar a morte de alguém para uma […]

3 dicas de como lidar com o medo de perder alguém

Dizem que a morte é a única certeza que temos na vida. Mesmo assim, lidar com ela ainda é um tabu para a maioria das pessoas. Muitas sequer aceitam a possibilidade de falar sobre o assunto. O medo de perder alguém, por exemplo, impede que nos preparemos para isso. O resultado é que, quando chega a […]

Fique por dentro do que é o embalsamento e a sua origem

Diferentes técnicas para o tratamento de corpos antes do sepultamento têm origem lá na Antiguidade, principalmente na região do Antigo Egito, de onde viveram os faraós. Um bom exemplo disso é o método conhecido como embalsamento. No entanto, com o surgimento de novos processos, produtos e tecnologias, essa técnica evoluiu e se tornou a tanatopraxia. Ambas foram […]