Qual a importância do apoio psicológico no luto?

A morte de um ente querido é um momento muito difícil. São vários sentimentos, carências e um vazio que já não poderá mais ser preenchido com a presença da pessoa que se foi. Em meio a essa situação, o apoio psicológico no luto pode ser uma alternativa para ajudar o enlutado a lidar com a dor e a encontrar formas de prosseguir na vida.

O apoio de um profissional pode ser decisivo na experiência, ajudando o sujeito a elaborar a perda e a encontrar recursos pessoais para lidar com a morte de alguém que ama. Acompanhe o conteúdo a seguir para entender melhor sobre o luto e os benefícios do apoio psicológico nesse momento.

O que é o luto?

O luto é o processo que uma pessoa passa diante da perda de alguém ou de algo que tem importância emocional para ela. Ele pode acontecer diante de uma morte, da demissão de um emprego, divórcio, fim de um namoro, entre outras situações.

Cada um tem suas maneiras individuais de reagir a esse momento. Assim, não há um tempo padrão definido para o luto: ele pode durar dias, meses ou até anos. Isso depende muito da estrutura emocional do sujeito e também do vínculo que ele desenvolve com o que foi perdido. Sabemos, entretanto, que o luto é um momento de recolhimento pessoal e de que é preciso tempo para enfrentar essa situação.

Diante de um falecimento, o luto tende a despertar várias angústias devido ao fato de a morte ser uma realidade que traz muitas incertezas. A morte é um assunto dificilmente abordado em nossa sociedade, sempre tratado como um tabu. Porém, é impossível evitá-la na vida.

Quais as dificuldades do processo de luto?

O processo de luto resulta em muitas dificuldades, tanto para o sujeito quanto para as pessoas que estão próximas a ele. São muitos sentimentos ao mesmo tempo, o que pode angustiar o enlutado e trazer a sensação de impotência e de descontrole. Apesar disso, ele é um processo saudável e necessário para que o indivíduo siga em frente.

Em nossa sociedade, existe um imperativo de felicidade e produtividade. Assim, momentos de luto, que exigem tempo, recolhimento e reflexão, tendem a ser censurados e reprimidos, ou muitas vezes confundidos com depressão. As pessoas, na tentativa de ajudar, podem dificultar a situação, tentando eliminar a tristeza, que é natural do momento de perda.

Qual o papel do apoio psicológico no luto?

O apoio psicológico no luto é importante para ajudar o sujeito a compreender o processo da morte e da separação. Nossa sociedade não nos prepara para lidar com perdas, e a morte ainda é um assunto pouco dialogado entre as famílias. Assim, quando um falecimento acontece, as pessoas são tomadas por muitas angústias e também pela necessidade de falar sobre esse sofrimento.

O psicólogo é um profissional preparado para oferecer uma escuta clínica e especializada. A formação permite que ele crie um espaço de abertura e conforto para que o enlutado possa dialogar sobre a dor que sente e elaborar essa vivência.

Sentimento de culpa, dificuldade de lidar com a separação, mágoas e rancores podem ser abordados no atendimento, permitindo construir novos significados para as experiências vividas. Assim, o psicólogo ajuda o indivíduo a ter um espaço para expressar a dor e a criar novos sentidos para o sofrimento que a perda gera.

Quais os benefícios do apoio psicológico no luto?

O apoio psicológico no luto oferece vários benefícios para o indivíduo. O espaço com o psicólogo permite a expressão da dor e também a transformação da angústia em palavras, oferecendo alívio e conforto. Situações mal resolvidas podem ser trabalhadas e discutidas, possibilitando que o sujeito repense esses contextos e crie novos sentidos para essas lembranças.

Quando perdemos alguém importante, é comum que não saibamos como acolher as pessoas próximas. Amigos e parentes podem criar expectativas sobre a nossa melhoria e superação, tornando a situação mais angustiante.

No atendimento psicológico, essas questões podem ser colocadas em pauta. O sujeito pode falar do falecido o quanto desejar, pois, antes de um trabalho de separação, há um momento de superinvestimento. Isso é enfrentado e, com apoio, o indivíduo se recupera com mais facilidade, sem traumas e lidando com o sofrimento no ritmo em que ele dá conta.

Quais são as diferentes fases do luto?

O luto se manifesta em diferentes fases, que não acontecem necessariamente em uma ordem definida. Veja a seguir:

  • negação: a pessoa age como se a morte não houvesse ocorrido. Ela se recusa a aceitar o fato e finge que nada está acontecendo. É como se o sujeito mobilizasse os seus recursos para recusar a realidade, em um mecanismo de defesa;
  • raiva: momento em que a pessoa é tomada por emoções agressivas. Ela percebe que não pode mais negar a perda. Há questionamentos, revolta e inquietação;
  • barganha: o enlutado compreende que não pode mais negar a perda. Porém, ele faz uma negociação para se permitir uma última oportunidade, antes de aceitar;
  • depressão: a pessoa aceita a morte, quando ela já não tem mais força emocional para lutar contra a verdade e os sentimentos que a perda traz;
  • aceitação: o indivíduo passa a conviver com a dor, e o sofrimento já não ocupa mais todo o espaço da vida. Há como fazer planos, construir novos caminhos e seguir em frente. É um momento de superação.

O luto é um processo de recolhimento pessoal, que acontece diante da perda de um elemento de importância emocional. O falecimento de um ente querido é uma situação difícil de ser enfrentada e que mobiliza muitas angústias para o indivíduo.

O processo de luto é diferente para cada um, tendo duração e intensidade distinta. Porém, há fases do luto que geralmente acontecem de forma mais ou menos acentuada, de acordo com as individualidades do sujeito. São elas: negação, raiva, barganha, depressão e aceitação, sendo que elas não acontecem necessariamente nessa ordem.

O apoio psicológico no luto ajuda a enfrentar essa situação de forma saudável e construtiva, auxiliando a pessoa a viver a dor e a criar formas de lidar com esse sofrimento.

Gostou de nosso conteúdo? Aproveite e entre em contato com a Metropax. Nós vamos te acolher.

Veja mais

Veja como fazer o planejamento familiar em 9 passos

O termo planejamento familiar é amplo: vai desde o número de filhos e a saúde, passando pelo setor financeiro e chegando até a morte. Por isso, as pessoas devem programar o futuro pensando nos herdeiros e nos cônjuges. Mas infelizmente os brasileiros não costumam agir dessa maneira, ficando desamparados quanto enfrentam uma situação de emergência […]

E-book: Medidas legais após a morte de um ente querido

Quando preparamos esse material, queríamos tirar as principais dúvidas em relação às documentações e trâmites burocrático que precisa lidar após a morte de um familiar ou amigo próximo. Por isso, abordamos os seguintes temas: Documentação necessária para o sepultamento; Medidas legais para cancelar documentos e contas do falecido; Orientações sobre abertura do inventário; Procedimentos legais para […]

Celebração de finados: saiba mais sobre a história deste dia

Quando nos aproximamos da celebração de finados, vivenciamos um momento importante para a memória e a aceitação da perda dos nossos entes queridos. É uma data introspectiva, principalmente para familiares, que visitam túmulos, deixam flores e acendem velas para o que se foram eternamente. Aqui no Brasil, homenageamos os falecidos no dia 2 de novembro […]