5 dicas para lidar com a saudade de alguém que se foi

Nunca é fácil superar a perda de uma pessoa querida. Depois do impacto inicial da morte e do funeral, é hora de aprender a lidar com a saudade. Por mais difícil que seja, chega um momento em que é necessário superar a dor e seguir adiante. Por isso, separamos 5 dicas para ajudá-lo a se sentir melhor e voltar à rotina.

1. Livre-se do sentimento de culpa

É comum as pessoas se sentirem culpadas de alguma forma pela morte do outro, bem como acreditarem que poderiam ter feito alguma coisa ou resolvido a situação. Porém, dificilmente isso é uma verdade.

A morte é inevitável. De uma maneira ou de outra, todos nós vamos passar por ela. Assim, é preciso buscar se conformar e entender que não somos responsáveis pela situação, seja ela trágica e repentina ou não.

2. Procure ajuda profissional

Se for muito difícil de lidar com a perda sozinho, você pode contar com a ajuda de um psicólogo ou psiquiatra.

Muita gente ainda tem preconceito com esses profissionais por acreditarem que tratam apenas pessoas com doenças mentais. No entanto, fazer terapia pode trazer melhor aceitação, ajudando-o a ter um melhor entendimento sobre a situação e os próprios sentimentos.

3. Mantenha uma rotina normal

De imediato, esse pode ser o passo mais difícil, sobretudo, se o falecido fazia parte do seu dia a dia. Mas, passado o período de luto, é hora de seguir adiante.

Aos poucos, é preciso voltar a fazer tudo que fazia antes. Comece com tarefas cotidianas, como cuidar da casa e dos filhos. Depois, volte ao trabalho e aos estudos. Por fim, quando se sentir preparado, torne a fazer atividades de lazer, como sair com os amigos e a família.

4. Dê atenção para quem ficou

Muitas pessoas em luto concentram tanto os pensamentos em quem os deixou que acabam se esquecendo dos que ficaram. Além de voltar à rotina, é importante dar atenção para as outras pessoas, que podem estar sofrendo tanto quanto você.

Não é algo fácil de se fazer, pois, muitas vezes, a forma mais simples de lidar com a saudade é se isolar e afastar as pessoas. Mas é algo necessário tanto para ajudar os outros quanto a você mesmo a superar a dor.

5. Preserve as boas memórias

Tentar superar a perda de alguém não significa tentar esquecê-lo. No entanto, é bem melhor se ocupar de bons pensamentos. É mais saudável para você e para as pessoas a sua volta se concentrar nas boas lembranças sobre o falecido. Afinal, por que focar em coisas tristes e ruins quando se pode recordar tantas boas memórias?

Por mais triste que seja perder alguém, lidar com a saudade é necessário. Isso não significa reprimir seus sentimentos. Pelo contrário: se permita sofrer e sentir a perda de quem se ama, chore e reclame. Mas, no fim, dê a volta por cima e não tenha medo de recomeçar a viver.

E você, o que faz ou já fez para lidar com a saudade e o sentimento de perda? Deixe sua resposta nos comentários!

Veja mais

O que é um perfil memorial no Facebook? Saiba como solicitar

As redes sociais conectam as pessoas e são ótimas para interagir, manter contato, rever amigos e fortalecer os laços. Porém, quando alguém próximo falece, o que podemos fazer com o perfil dele? Essa situação delicada tem algumas possibilidades, como a utilização do Facebook memorial, por exemplo. Essa é uma forma de preservar a lembrança e prestar homenagem […]

Você sabe quanto custa uma cremação? Veja aqui!

Saber quanto custa uma cremação é necessário para que uma pessoa possa se planejar com os custos desse processo tão difícil e que, por muitas vezes, é o pedido de um familiar ou amigo muito próximo. A morte é um acontecimento muito delicado que requer algumas burocracias. A cremação é uma técnica que envolve o […]

Falecimento de avó: como lidar com a dor desse momento

Quando morre uma pessoa que gostamos muito, como o caso de falecimento de avó, por exemplo, um sentimento de tristeza e dor invade nosso coração e alma. Por mais natural que a morte seja e que saibamos que todos passarão por ela, ainda é um momento de muita incompreensão para o ser humano, principalmente para as crianças. Esse processo natural […]