Entenda a diferença de jazigo comunitário para jazigo particular

Já pensou sobre onde você será enterrado quando morrer? Sabemos que todos precisam lidar com isso, mas falar sobre a morte chega a dar arrepios em algumas pessoas. Por causa desse tabu, muitos assuntos burocráticos relativos à morte são deixados de lado, como a preocupação em ter um jazigo, um velório, um enterro ou cremação.

Quem já perdeu algum parente ou amigo e precisou cuidar da parte burocrática sabe da importância de fazer um planejamento para esse momento tão difícil. Resolver todos os itens em vida trará mais conforto aos familiares para que possam se despedir do falecido com tranquilidade.

Neste artigo você entenderá a relevância de ter um jazigo, seja comunitário, seja particular. Prossiga na leitura e tire as suas dúvidas.

O que é um jazigo?

O jazigo é o lugar onde são enterrados os caixões ou urnas funerárias. São pequenos terrenos dentro do cemitério, utilizados para o sepultamento.

Para adquirir um terreno você terá que comprar o espaço em uma imobiliária ou no cemitério, apresentando CPF, RG e comprovante de endereço. Caso tenha que fazer um financiamento, precisará providenciar um comprovante de renda de pessoa física.

Para a pessoa jurídica os documentos necessários são o RG, CPF, comprovante de endereço de todos os sócios e o contrato social ou última alteração consolidada, com cláusula administrativa.

Depois, é necessário providenciar a escritura, pois segue as mesmas leis dos imóveis. Dessa forma, você receberá o Título de Concessão Perpétua de Uso de Jazigo e terá de pagar as taxas para a manutenção, a administração e a conservação do cemitério.

O valor dos terrenos varia, visto que há fatores externos que influenciam no preço, como o tipo de cemitério, a localização e as gavetas. Entenda melhor abaixo.

Cemitério

Cemitérios que oferecem maior valor agregado com paisagismo, infraestrutura, iluminação, salas de velório, boa localização e segurança têm o m² mais caro. Antes de comprar, visite o lugar para saber se é o que está procurando.

Outro detalhe é que cada cemitério tem seu estilo. Alguns são parques que seguem o modelo europeu da década de 50, com área verde, paisagismo, trilhas e bosques, jazigos subterrâneos com gramado plano e placas com os nomes dos sepultados.

Também existem os cemitérios verticais, em que os mortos ficam em prédios com gavetas (umas sobre as outras) padronizados. Na cidade de Santos, em São Paulo, há o maior cemitério vertical do mundo: o Memorial Necrópole Ecumênica.

Localização

Com o cemitério escolhido, é hora de optar pelo local do jazigo. As melhores quadras são mais caras, assim como as que ficam perto da entrada ou que sejam fáceis de encontrar (como aquelas perto da capela, dos banheiros e da sala de velórios). Ao fazer sua compra, confira a quadra e vá conhecê-la.

Gavetas

O número de gavetas que compõem um jazigo também faz diferença no preço. Quanto mais gavetas, mais caro será. A quantidade varia de duas a oito gavetas, que podem ficar na lateral ou no centro do terreno.

Geralmente, são mais vendidos os modelos com três gavetas e sem área. Ou seja, três caixões, permitindo até 12 exumações. O modelo com oito gavetas no centro conta com quatro gavetas de cada lado. Por isso, comporta até oito urnas funerárias e permite fazer, no máximo, 32 exumações.

Um mesmo jazigo pode conter de três a oito gavetas que uma mesma família usará para o sepultamento. É obrigação dos parentes a sua manutenção.

Caso haja abandono, ausência de pagamento das taxas de manutenção do jazigo e do cemitério ou falta de regularização, o proprietário poderá perder o jazigo. No entanto, é um bem impenhorável, assim como sua casa.

Qual é a diferença entre o jazigo particular e o comunitário?

Os jazigos particulares geralmente são comercializados por um cemitério particular ou uma imobiliária. Considerados perpétuos, são repassados para as próximas gerações de uma mesma família.

Os restos mortais podem ficar ali ou serem transferidos, dando lugar a corpos de outros parentes. Outro diferencial é que não há prazo para a exumação. Assim, as pessoas podem fazer suas homenagens aos falecidos sempre que quiserem.

Quem possui um jazigo perpétuo reduz os custos no momento do sepultamento, visto que é dispendioso comprar um terreno de última hora. Também não precisará aguardar em filas por um jazigo no cemitério público.

No comunitário ou temporário existe um limite de tempo (que varia de três a cinco anos) para que o corpo de uma pessoa fique no cemitério. Nessa categoria você aluga o espaço em cemitérios públicos para enterrar o parente pagando a taxa de manutenção.

Chegado o tempo limite, a família deve providenciar a exumação e a transferência dos restos mortais para outro jazigo ou gaveta de ossada perpétua. Nos dois casos, geralmente é necessária a documentação autenticada, assim como o pagamento de uma taxa de transferência que chega a 20% do valor do jazigo.

Quais são os tipos de jazigo particular?

Um jazigo particular pode ser adquirido com diversos tamanhos de acordo com a renda do proprietário e o número de pessoas na família. Veja os principais tipos:

  • o jazigo duplo é construído com até oito gavetas, sendo quatro de cada lado. Três são destinadas ao sepultamento e uma fica para guardar o ossário;
  • o jazigo especial conta com até quatro gavetas. Três são usadas para o sepultamento e uma para guardar o ossário;
  • o jazigo simples tem três gavetas. Assim, duas são para o sepultamento e uma para ossário.

Lidar com processos relacionados à morte não é fácil. Ainda assim, é necessário tomar providências e deixar tudo preparado para quando chegar a sua hora.

Cuidar de itens como o testamento, o velório, a funerária e o jazigo evitará que seus familiares se aborreçam com partes burocráticas e despesas fora do orçamento em um momento tão delicado.

Como a morte é um fato, o melhor é ser realista e encará-la de frente. Caso você queira saber mais sobre os procedimentos relacionados ao assunto ou outro tema que gera dúvidas, entre em contato com a nossa empresa para que possamos passar as informações corretas.

Veja mais

E-book: Medidas legais após a morte de um ente querido

Quando preparamos esse material, queríamos tirar as principais dúvidas em relação às documentações e trâmites burocrático que precisa lidar após a morte de um familiar ou amigo próximo. Por isso, abordamos os seguintes temas: Documentação necessária para o sepultamento; Medidas legais para cancelar documentos e contas do falecido; Orientações sobre abertura do inventário; Procedimentos legais para […]

Celebração de finados: saiba mais sobre a história deste dia

Quando nos aproximamos da celebração de finados, vivenciamos um momento importante para a memória e a aceitação da perda dos nossos entes queridos. É uma data introspectiva, principalmente para familiares, que visitam túmulos, deixam flores e acendem velas para o que se foram eternamente. Aqui no Brasil, homenageamos os falecidos no dia 2 de novembro […]

Entenda a importância de estabelecer o diálogo com os filhos

As relações familiares são algumas das mais importantes na construção do indivíduo. Elas são responsáveis por desenvolver sentimentos de afeto e solidariedade, por exemplo. Contudo, para que elas sejam ainda mais significativas, principalmente no caso dos pais, é fundamental que esses procurem manter sempre o diálogo com os filhos. A verdade é que todo tipo de relacionamento […]