3 dicas de como lidar com o medo de perder alguém

Dizem que a morte é a única certeza que temos na vida. Mesmo assim, lidar com ela ainda é um tabu para a maioria das pessoas. Muitas sequer aceitam a possibilidade de falar sobre o assunto. O medo de perder alguém, por exemplo, impede que nos preparemos para isso. O resultado é que, quando chega a hora da partida de um ente querido, a dor é ainda maior.

O pavor de aceitar que a vida tem um fim pode causar angústia e, em alguns casos, até depressão. Mas você sabia que existem maneiras de superar o medo da morte e conseguir lidar melhor com esse sentimento? Siga a leitura do post e confira as dicas que separamos.

1. Entenda de onde vem o seu medo da morte

Ter medo da morte é algo tão natural quanto a certeza de que ela chegará um dia para todos. Mas esse medo não pode ser fonte de sofrimento para ninguém. E a melhor forma de superá-lo é entendendo sua origem.

A perda de uma pessoa querida causa angústia, mas entender que a morte também é o fim do sofrimento de quem está há alguns anos doente, por exemplo, gera o desprendimento necessário e traz conforto.

2. Compartilhe seu medo de perder alguém com outras pessoas

A falta de comunicação e diálogo sobre a morte costuma agravar o medo de perder alguém. Compartilhar sentimentos e conversar sobre a finitude da vida, por outro lado, ajudam a aceitá-la como algo natural e que acontecerá com todas as pessoas.

Dessa forma, é possível ter uma visão realista que permite, inclusive, que você tome atitudes práticas no sentido de vencer esse medo. Discutir com familiares questões relacionadas ao luto, perda ou espiritualidade faz com que todos se preparem para quando o momento chegar.

Vale até mesmo planejar a passagem. Entender as preferências de seus familiares — se desejam ser sepultados ou cremados, por exemplo — também ajuda a lidar com o medo de perder alguém.

3. Viva experiências positivas ao lado de quem ama

Uma vida sem significado, apenas de trabalho e sem momentos de felicidade ao lado de quem se ama pode ser angustiante e trazer com ela o medo da morte. Na verdade, por trás disso está o receio de que, com a partida da pessoa querida, venha o remorso por não ter aproveitado da melhor maneira o tempo com ela.

Por isso, valorize os momentos em família e com amigos. Você pode, inclusive, elencar algumas metas que incluam o que deseja fazer por quem você ama.

Lembre-se sempre de que quem se ocupa sendo feliz, não tem tempo para ficar paralisado com o medo da morte.

Enfim, a morte é algo natural e nada melhor do que conversar sobre ela e, assim, enfrentar o medo de perder alguém. Também desfrute da melhor maneira possível os bons momentos ao lado de quem você ama. Afinal, essas são as lembranças que ficarão.

Para saber como se preparar para esse momento, leia também nosso post Saiba quais são os desafios para cuidar de pais idosos.

Veja mais

Como comunicar um falecimento para pessoas com problemas de saúde?

Que a vida é efêmera, todos sabemos. Mas a informação sobre o falecimento de alguém tão querido está longe de ser aceitável por muitas pessoas, independentemente da crença. Não queremos nos separar daqueles a quem amamos. Muitas vezes, além de termos de lidar com nosso sofrimento, ainda há a tarefa de comunicar a morte de alguém para uma […]

Fique por dentro do que é o embalsamento e a sua origem

Diferentes técnicas para o tratamento de corpos antes do sepultamento têm origem lá na Antiguidade, principalmente na região do Antigo Egito, de onde viveram os faraós. Um bom exemplo disso é o método conhecido como embalsamento. No entanto, com o surgimento de novos processos, produtos e tecnologias, essa técnica evoluiu e se tornou a tanatopraxia. Ambas foram […]

Conheça a importância da relação entre avós e netos

É muito comum observarmos famílias em que os pais concentram suas energias em garantir momentos de convivência entre os seus genitores e os seus filhos, e isso tem alguma razão. Afinal, a ciência comprova que a relação entre avós e netos tem grande importância para os mais novos e para os mais velhos também. Não […]