Veja como fazer uma poupança e ter reserva para emergências

O cuidado com os investimentos na poupança é algo que deve merecer a atenção de todos. Isso deve ser feito independentemente do valor dos ganhos mensais, do volume de gastos e do padrão de vida de uma pessoa ou de uma família.

Este post mostrará os motivos dessa necessidade, e também trará dicas para o desenvolvimento do hábito de poupar. Assim, se o tema é de seu interesse, continue com a leitura e fique mais bem informado sobre o assunto.

O hábito da poupança

Quem já não ouviu frases do tipo “ele gasta muito” ou “ela não para de gastar”? Essas expressões dizem respeito a um hábito muito prejudicial, que é o de desperdiçar dinheiro às cegas.

Por outro lado, poupar também é um hábito: a pessoa acostumada a guardar parte de suas verbas desenvolve o costume de fazê-lo. Assim, chega a um ponto em que economiza de forma automática.

Se lembrarmos que todos nós estamos sujeitos a imprevistos que podem exigir altos desembolsos financeiros, então podemos enxergar o ato de poupar como uma virtude — o contrário da ação de gastar sem controle, que seria um vício.

Desse modo, se você pretende acostumar-se a fazer poupança, a melhor sugestão é realizá-la constantemente, nem que seja uma pequena quantia mensal, até incorporar essa prática ao seu comportamento.

Como começar a poupar

Controlar o orçamento

A primeira coisa que você deve providenciar é o controle de seu orçamento. Para tanto, faça um levantamento de todos os seus gastos mensais, separando-os da seguinte maneira:

  • despesas inevitáveis (imprescindíveis) — aluguel, alimentação, água e esgoto, energia elétrica, telefone, medicamentos, vestuário etc.;
  • despesas desnecessárias (supérfluas) ou que podem ser reduzidas ou mesmo cortadas sem maiores problemas: viagens, lazer, moda e beleza etc.

Feito isso, compare seu rendimento no mês com o total de gastos nesse mesmo período. Se sua situação orçamentária estiver tranquila (sobra de verba), então passe a economizar o máximo que puder.

Em caso contrário (orçamento apertado), verifique todas as possibilidades de redução ou de corte de encargos, de forma a produzir algum excedente e, assim, possibilitar que se poupe, ainda que seja um valor não muito significativo.

Fazer reserva para emergências

O que aconteceria se seus ganhos mensais diminuíssem sensivelmente de um momento para outro, como no caso de desemprego involuntário? Certamente as  sua situação financeira ficaria muito ruim, pois suas contas a pagar não desaparecerão. Essa é mais uma razão para levar a sério a necessidade de economizar suas finanças.

Digamos que seus desembolsos mensais alcancem o valor de R$ 3.000,00. Nessa situação, o ideal seria contar com uma reserva de no mínimo R$ 9.000,00, de modo a poder se manter pelos próximos três meses.

Além disso, considere situações dramáticas que podem surgir quando menos se espera — por exemplo, doença grave em membro da família. Mais uma vez, uma reserva financeira para atender a emergências se fará necessária.

Estabelecer metas

O estabelecimento de metas poderá funcionar como um verdadeiro estímulo ao ato de poupar. Seus objetivos poderão ser os mais diversos, como adquirir um veículo novo, reformar a casa ou garantir os estudos universitários de seus filhos. O importante é ter um propósito significativo o bastante para o levar a economizar.

Você também poderá se preocupar com fatos inevitáveis da vida, como a morte de entes queridos, de modo a ingressar num plano de assistência funerária, visando suprir esse tipo de despesa em momentos de luto, o que não deixa de ser uma forma de reserva de verbas.

E então, conseguiu perceber a importância da poupança de recursos financeiros? Verificou como se pode desenvolver o hábito de poupar com algumas atitudes simples, mas que exigem disciplina? Esperamos que sim!

Agora que você já sabe como fazer para poupar, compartilhe este artigo nas redes sociais, pois assim você poderá ajudar seus amigos a aprender a importância de fazer uma poupança.

Veja mais

FAQ: tire todas as dúvidas sobre velório

Lidar com a perda de um ente querido não é fácil. Mas, mesmo nesse momento de dor e sofrimento, é preciso manter a calma para resolver questões burocráticas, legais e cerimoniais — como o velório. A verdade é que são muitos detalhes, documentos e decisões que precisam ser tomadas em uma hora tão delicada. Os serviços das […]

Entenda o que é e qual a finalidade do santinho de luto

A morte é um fato na vida de todas as pessoas. Quando acontece, deixa sentimentos confusos dentro dos nossos corações devido à ausência do ser querido, restando somente a saudade, as lembranças nas memórias ou em fotos e vídeos. Mesmo assim, as pessoas ainda querem mais. Por isso, como forma de homenagear o falecido, a família manda fazer o santinho de luto […]

Pet memorial: o que fazer após a morte do meu animal de estimação?

Os animais de estimação, gato ou cachorro, são mais que família para seus donos. Alegram as casas, ajudam na cura de doenças emocionais e até mesmo físicas. Não há como negar que o companheirismo e o carinho ofertados por eles são sinceros e de graça. Mas, quando morrem, o que devemos fazer com seus corpos? Existe um pet […]