Aprenda a melhor maneira de escolher um cemitério

6 minutos para ler

Se existe uma certeza em nossa vida, é a morte. Mais cedo ou mais tarde, todos nós trilharemos esse caminho. Entretanto, isso não deve ser motivo para perder a alegria de viver. Pelo contrário, devemos buscar viver de maneira plena, já que, quando chegar a nossa hora, só levaremos o que sentimos. Ao pensar na morte, é importante focar em questões mais funcionais, como a necessidade de escolher um cemitério que ofereça dignidade ao falecido e conforto à família.

Se não há meios para evitá-la, a solução é buscar a melhor forma de lidar com ela, priorizando sempre o bem-estar dos seus entes queridos. Um funeral bem organizado pode ajudar a minimizar a dor daqueles que ficam e, para isso, é necessário escolher bem o cemitério. Se você não faz ideia de quais quesitos deve levar em conta na hora da escolha, continue lendo! Listamos abaixo algumas dicas que poderão ajudá-lo.

Custo

Os preços para enterro ou cremação podem variar muito de cemitério para cemitério. Normalmente, estão inclusos no “pacote” o transporte do corpo, a cerimônia, alguns itens para o velório (flores, velas etc.), o caixão e a preparação do corpo.

Um enterro pressupõe ainda os custos com sepultamento e manutenção de jazigo, enquanto a cremação demanda o pagamento para o procedimento e a aquisição de uma urna cinerária (opcional). É por isso que podemos dizer que a cremação costuma ser mais em conta que o enterro.

Independentemente da opção escolhida, é importante pesquisar para ter relativo conhecimento dos preços com antecedência. No momento em que perdemos alguém importante, ficamos emocionalmente abalados, o que pode fazer com que não tenhamos tato para fazer uma boa análise de custos. Além disso, os valores cobrados devem ser levados em conta, mas estão longe de representar o único fator relevante para a escolha de um cemitério.

Localização

O cemitério escolhido é próximo à sua casa? O local tem alta incidência de assaltos e outros crimes? Essas questões também precisam ser levadas em conta na hora de escolher. De nada adianta escolher o local mais barato e fazer a família toda deslocar-se por quilômetros para participar da cerimônia. Além disso, ao sepultar um membro da família, pressupõe-se que visitas ao jazigo serão feitas periodicamente. A dificuldade de chegar ao local pode afetar muito esse acompanhamento.

Além disso, escolher um cemitério em uma região considerada de alta periculosidade deixa os familiares mais expostos à violência. É claro que existe a questão de que não há lugar onde estejamos totalmente seguros, mas existem, sim, bairros onde as estatísticas apontam um número maior de ocorrências. Ainda que sejam um pouco mais baratos, o ideal é buscar outras opções.

Serviços oferecidos

Nos tópicos acima, falamos sobre itens inclusos na cerimônia. Entretanto, essa questão também varia de local para local. Normalmente, uma coroa de flores e um véu fazem parte do pacote, mas é sempre bom confirmar se esses itens estão realmente inclusos. O tamponamento e embalsamamento, o processo de lavar e vestir o corpo e a assistência prestada durante o velório também são questões que precisam ser confirmadas.

O ideal é saber com antecedência o que está incluso no preço que você pagará pela cremação ou sepultamento e a quais itens para o velório você tem direito. Comparar somente os custos sem levar em conta os serviços pode levá-lo a uma falsa conclusão sobre as vantagens de cada um. Daí a importância de averiguar antes de escolher.

Relação com o plano funerário de seu interesse

Aderir a um plano funerário significa preparar-se para não ser pego de surpresa diante da morte de um ente querido. Tal serviço consiste na contratação de uma empresa que, mediante pagamento de uma taxa mensal, poderá atendê-lo no momento em que surgir a necessidade, evitando que você pague preços abusivos (que inevitavelmente são praticados em muitos locais, valendo-se da fragilidade do momento). Trata-se de uma forma de planejar-se para ser assistido no momento da morte.

Uma vez contratado o plano funerário, você precisa pesquisar em quais cemitérios ele é conveniado. Isso pode ser informado no momento de fechamento do plano e, a partir de então, você pode começar a pensar em sua escolha, levando em conta apenas as opções que condizem com o contrato. Sendo assim, fica mais fácil filtrar e fazer uma escolha realmente plausível.

Cemitério público X Cemitério privado

Está aí uma questão que ainda gera muitas dúvidas quando o assunto é escolher um cemitério: será que é melhor optar por um estabelecimento público ou privado? Em primeiro lugar, você precisa saber que todo cemitério, seja ele público ou privado, está sujeito à fiscalizações estaduais. Em cemitérios públicos, entretanto, os terrenos para construção dos túmulos não são vendidos.

A legislação garante o direito de sepultamento a todo cidadão e, portanto, o terreno poderá ser usado para tal. Porém, alguns anos mais tarde, será necessário exumar a ossada e alocá-la em outro modelo de acomodação, localizado no próprio cemitério.

Um dos grandes problemas desse modelo é a superlotação, que pode levar muitas famílias a ter dificuldades na hora de encontrar uma sepultura para seus entes queridos. O coveiro e as pessoas encarregadas por podar a relva e cuidar da aparência do túmulo são pagos à parte. Em alguns municípios existem leis que permitem transferir jazigos aparentemente “abandonados pela família” para outras pessoas.

Em cemitérios particulares, é possível adquirir um jazigo para a família, onde os membros serão sepultados e poderão permanecer definitivamente, não sendo necessária a exumação. Normalmente, o pacote adquirido para o sepultamento engloba o pagamento de todos os itens pertinentes e a limpeza do túmulo é de responsabilidade de uma equipe local, mediante o pagamento de uma taxa mensal.

Em um primeiro momento, pode ser que essa segunda opção pareça mais onerosa, mas vale a pena colocar na ponta do lápis tudo o que será gasto com o passar do tempo com a manutenção e limpeza do jazigo. Isso sem contar a responsabilidade de manter-se em vigilância.

Como se pode ver, escolher um cemitério nada tem a ver com ser frio ou manter-se alheio à possibilidade de falecimento de familiares. Trata-se de um ato de amor, que visa oferecer dignidade em um momento tão triste e delicado.

Se este post foi útil para você, entre em contato conosco e conheça nossos planos funerários.

Posts relacionados

Deixe um comentário